Mestre Odilon: “Desta vez foi diferente, o samba já veio bom”

Humildade. Esta é a palavra de ordem de Mestre Odilon, diretor de bateria da Grande Rio, aos seus ritmistas. Como a ala da tricolor é considerada uma das melhores da atualidade e quase sempre garante notas máximas, de acordo com Odilon, alguns ritmistas deixaram o “sucesso subir à cabeça”.
 
Para concentrá-los no trabalho para o carnaval 2009, ele pensou em uma paradinha com alto grau de dificuldade logo no início do samba. É uma forma de desafio, aos seus 264 ritmistas, como conta:
 
– Começa com as caixas, depois passa para o surdo de terceira e termina chamando todos os instrumentos. Tem que encaixar pra ficar bonito, mas os ritmistas estão com dificuldades para acertar, nem mesmo os melhores pegaram de primeira. Lancei este desafio porque quero ‘baixar a bola deles’. Eles têm que respeitar as outras escolas. Humildade é fundamental em uma bateria, não pode existir esse negócio de ser superior aos outros ritmistas – afirmou Mestre Odilon.
 
Franco quando está incomodado, ele elogiou o samba-enredo da Grande Rio, algo que não acontecia há algum tempo. Segundo ele, houve uma evolução da safra da escola para o carnaval do ano que vem em comparação com as folias anteriores.
 
– Normalmente, a bateria da Grande Rio tem que corrigir o samba vencedor depois da escolha, mas desta vez foi diferente, ele já veio bom – contou.

Comentários




mais notícias

    gl