Tiririca se despede da política: ‘Decepcionado e envergonhado’

Tiririca. Foto: Câmara dos Deputados

Tiririca. Foto: Câmara dos Deputados

Após se eleger duas vezes deputado federal com mais de um milhão de votos em cada uma das eleições Francisco Everardo Oliveira Silva, o Tiririca, do PR-SP, anunciou nesta quarta-feira (6) que vai abandonar a política. O anúncio foi feito no plenário da Câmara.

“Subo nesta tribuna pela primeira vez e pela última vez, não por morte, [mas] porque estou abandonando a vida pública”, disse.

O cantor e palhaço que cumpria seu segundo mandato pelo Estado de São Paulo, afirmou que sai de cabeça erguida por não ter feito nada de errado e fez críticas a seus colegas políticos. No plenário, ele chegou a indicar renúncia, mas depois afirmou que cumprirá seu mandato até o fim e não vai se candidatar à reeleição.

“Não fiz nada de errado, mas muitos dos senhores não têm essa coragem, andam até disfarçado de dizer que é parlamentar porque é uma vergonha. Está vergonhoso”, disparou.

– Tiririca pede emprego a Silvio Santos: ‘Eu não vou ser mais deputado’

Tiririca descartou participar de futuras eleições e tornou pública sua insatisfação com a política brasileira.

Tiririca. Foto: Câmara dos Deputados
Tiririca. Foto: Câmara dos Deputados

“Jamais vou falar mal de vocês em qualquer canto que eu chegar e não vou falar tudo que vi, tudo o que vivi aqui. Seria hipócrita se eu não falasse realmente que estou decepcionado. Decepcionado com a política brasileira, decepcionado com muitos de vocês, muitos. Saio totalmente com vergonha. Não são todos, mas eu queria que vocês tivessem um olhar pelo nosso país, pela nossa saúde”, afirmou.

Um dos deputados mais assíduos da Câmara, mas que só usou o microfone três vezes no plenário, Tiririca só conseguiu aprovar uma de suas propostas em sete anos de mandato: a que inclui artes e atividades circenses na Lei Rouanet.

Assista ao discurso:

Ao usar como um de seus bordões na primeira campanha eleitoral “Pior do que está não fica”, Tiririca vê a maioria dos parlamentares trabalhando para atender interesses próprios, em detrimento do povo e alega não ter o “jogo de cintura” exigido para ser político.

Tiririca. Foto: Reprodução de Internet
Tiririca. Foto: Reprodução de Internet

Recentemente, Tiririca confessou que disputou o primeiro mandato, em 2010, apenas para tentar ganhar visibilidade, mas mudou de ideia quando foi eleito com 1,3 milhão de votos, o que o tornou o deputado mais votado do Brasil. Em 2014 reeleito com 1,016 milhão de votos.

O comediante avalia que há parlamentares bem intencionados, mas que não conseguem trabalhar porque o “sistema” não deixa.

“A partir do exato momento que você entra, ou entra no esquema ou não faz. É uma mão lava a outra. Tu me faz um favor, que eu te faço um favor. Eu não trabalho dessa forma.Fiquei muito decepcionado com muita coisa que vi lá”, desabafou.

Tiririca. Foto: Divulgação
Tiririca. Foto: Divulgação

Vale lembrar que Tiririca votou tanto a favor do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) quanto pela abertura de investigação contra Temer, mesmo com a pressão da direção partidária sobre ele.

Desiludido com a política, Tiririca voltou a fazer shows como palhaço aos finais de semana há cinco meses.

Relembre algumas mensagens das campanhas eleitorais de Tiririca:

Comentários

srzd



mais notícias