Caso Mércia: Mizael recorre à Justiça por assistência médica e escolta policial

O detento Mizael Bispo de Souza, condenado a 22 anos e oito meses pela morte da ex-namorada Mércia Nakashima, recorreu à Justiça para ter assistência médica fora do presídio em Tremembé, onde cumpre pena pelo assassinato, desde agosto de 2015. O crime foi cometido em 2010.

O pedido foi feito no final do ano passado e submetido para esclarecimentos da Secretaria de Administração Penitenciária sobre a saúde do presidiário. No último dia 11, com as informações do Estado, o Ministério Público deu parecer contrário ao requerimento de Mizael. Não há prazo para decisão da Vara de Execuções Criminais.

Segundo o G1, o advogado Marcos Vinícius Cesar Doria diz que o detento precisa fazer exames cardiológicos em “estabelecimento adequado” e solicita escolta policial para acompanhar o condenado.

A SAP informou ao Judiciário que Mizael faz acompanhamento com médico cardiologista desde março de 2017, que passa por consultas periódicas e atualmente tem estado de saúde considerado estável, mantendo medicação contínua. Ele toma medicamentos como losartana, para hipertensão, e atenolol, para doenças vasculares.

A pasta afirmou ainda que Mizael fez teste ergométrico e ecocardiograma em março deste ano, com resultados dentro da normalidade.

Comentários




mais notícias

    gl