Gilmar Mendes manda soltar empresário apontado como operador do MDB

Milton de Oliveira Lyra Filho. Foto: Reprodução de Internet

Milton de Oliveira Lyra Filho. Foto: Reprodução de Internet

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), mandou soltar nesta terça-feira (15) o empresário Milton de Oliveira Lyra Filho, suposto operador do MDB no Senado Federal.

“Defiro o pedido liminar para substituir os efeitos da ordem de prisão preventiva decretada pelo Juízo da 7ª Vara Federal Criminal da Seção Judiciária do Rio de Janeiro, em desfavor de Milton de Oliveira Lyra Filho”, escreveu o ministro.

A decisão de soltar o lobista vai contra o pedido feito na última sexta-feira (11) pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge, de manter a prisão preventiva.

De acordo com Dodge, a liberdade do suposto operador do MBD “traz um risco atual e iminente à garantia da ordem pública, da ordem econômica, da conveniência da instrução criminal e da aplicação da lei penal”.

Lyra havia se entregado à Polícia Federal em 12 de abril, após ter a prisão decretada pelo juiz Marcelo Bretas, responsável pelo julgamento dos processos da Operação Lava Jato no Rio de Janeiro. Na ocasião, houve uma megaoperação policial contra operações financeiras suspeitas de fundos de pensão públicos.

As acusações que resultaram na prisão foram feitas pelo Ministério Público Federal do Rio de Janeiro durante investigação em torno do pagamento de propina, evasão de divisas, lavagem de dinheiro e corrupção com a participação de doleiros ligados ao ex-governador Sérgio Cabral.

Em nota, a defesa de Lyra afirmou que “o advogado Pierpaolo Bottini, que representa o empresário, considerou a decisão do ministro Gilmar Mendes acertada e reconheceu que a prisão preventiva foi decretada sem os requisitos autorizadores para a medida cautelar, agora revogada”

Comentários




mais notícias

    gl