Eleitor que usou arma para votar diz que atitude ‘foi uma brincadeira’

Homem usa arma de brinquedo para votar. Foto: Reprodução

Homem usa arma de brinquedo para votar. Foto: Reprodução

Uma das pessoas que gravaram vídeos nas cabines de votação na eleição do dia 07 de outubro foi encontrada pela Polícia Federal (PF) na última quarta-feira (10). Um mandado de busca e apreensão foi feito na casa de Maykon Santana Aníbal, em Cornélio Procópio, no Norte Pioneiro do Paraná. Na ação, foram apreendidos um celular e uma arma — que era de brinquedo — usados na gravação.

Em entrevista para a emissora RPC, Maykon Aníbal afirmou que atitude “foi uma brincadeira” e disse ter se arrependido. “Um minuto de bobeira acaba prejudicando talvez a vida inteira”, comentou o rapaz. Ele prestou depoimento na Delegacia da PF em Londrina e foi liberado em seguida.

O caso de Maykon ainda está sob investigação. Por ter registrado em vídeo o ato da sua votação, ele poderá ser punido com até dois anos de reclusão. De acordo com o Código Eleitoral, a violação do sigilo do voto configura crime eleitoral.

Operação da PF investiga crimes eleitorais

Na última quarta-feira (10), a Polícia Federal deflagrou uma operação para investigar crimes eleitorais relacionados à votação do primeiro turno das eleições de 2018. Desde o último domingo, surgiram fotos e vídeos ilegais em relação ao pleito. A ação ocorre em três frentes: Paraná, São Paulo e Sergipe.

“Os investigados poderão responder, no caso do Estado do Paraná, pelos crimes de violação de sigilo do voto e porte ilegal de arma; e no caso do Estados de Sergipe e São Paulo pela incitação de crime contra candidatos”, diz a nota da PF.

Comentários




mais notícias

    gl